Logo Caixiave
Logo tipo Caixiave

Notícia no suplemento Empresas do Jornal Público

Imagem Notícia no suplemento Empresas do Jornal Público


No dia 1 de Dezembro de 2014, a CAIXIAVE foi novamente notícia, desta vez no suplemento Empresas do Jornal Público.


Esta é mais uma prova do excelente trabalho que a nossa empresa tem desenvolvido!

Notícia:

Fundada em 1993, ao longo dos anos a Caixiave tem trilhado um caminho de crescimento e de expansão, contando com sucursais e representações em vários países espalhados pelo mundo. A empresa é atualmente líder do mercado nacional na produção e instalação de janelas eficientes, onde 70% das unidades vendidas são produzidas pela empresa famalicense.

A Caixiave é, desde a sua fundação, a maior empresa na área da produção e instalação de janelas eficientes em PVC em Portugal. Atualmente, a empresa produz 850 janelas por semana, sendo que o PVC representa 80% dessa produção. No entanto, a Caixiave produz também outros materiais, como o alumínio e o alumínio-madeira.

Dez anos depois de ter sido criada, a Caixiave iniciou a sua expansão pelo mundo. Logo em 2003, Angola foi o primeiro destino. No ano seguinte chegaram a Espanha, e em 2010 a França, que é hoje o principal mercado da Caixiave (representa 45%). Na totalidade, os mercados externos representam 55% da produção da empresa, que tem 230 colaboradores em todo o grupo e cerca de 180 no mercado nacional. A empresa conta ainda com representações no Chile, Argélia, Marrocos e Cabo Verde e, já em 2014, abriu uma nova sucursal no Brasil, na cidade de Fortaleza.

A Caixiave encontra-se sediada em Famalicão, naquela que é “a maior unidade da Península Ibérica no setor da caixilharia de PVC”, com uma área de produção de 11 mil metros quadrados. Como explica o CEO da Caixiave, Carlos Sá, “inaugurámos as novas instalações em 2008, no auge da crise. No entanto, fruto de uma estratégia bem definida temos crescido todos os anos. Em 2015 prevemos um crescimento na ordem dos 15%, e estamos a iniciar a laboração em dois turnos, de forma a capacitar a empresa para o aumento da produção”.

Este crescimento deve-se em muito à aposta feita ao longo dos anos na introdução de nova tecnologia e no constante acompanhamento das tendências do setor. “Hoje em dia os produtos na área da construção civil têm de contribuir para o aumento da eficiência energética dos edifícios, o que implica excelentes capacidades de isolamento térmico. O PVC acaba por ser a melhor solução, porque alia um melhor isolamento térmico face a outros materiais como o alumínio, possuindo ainda a vantagem de o custo ser inferior. Para além disso, as janelas de PVC não carecem de manutenção como as de madeira”, realça Carlos Sá.

A qualidade dos produtos é reforçada com a aposta nas certificações, nomeadamente na obtenção da certificação ISO 9001:2000 e de outros importantes certificados internacionais, os quais dotam a empresa de todas as condições necessárias para estar presente em diferentes mercados, nomeadamente “o francês, o nosso principal mercado e que é muito exigente em termos normativos”. É de salientar que a Caixiave é a única empresa da Península Ibérica com a certificação de qualidade de instalação – a certificação Qualibat.

O reforço da internacionalização é o objetivo principal para o futuro da Caixiave. Consolidar e crescer no mercado francês e angolano é uma das prioridades, bem como o reforço em Espanha e o crescimento no Brasil, “um mercado com um grande potencial e que começa a procurar soluções com qualidade”. O mercado interno será também potenciado: “queremos continuar a crescer também em Portugal, tendo em conta as novas exigências de eficiência energética às quais estamos preparados para responder. Temos fornecido e instalado muitas janelas eficientes em obras de reabilitação, sobretudo no Porto e em Lisboa”, termina Carlos Sá.

Aposta na Grande Distribuição

De forma a estar mais próxima do cliente final, a Caixiave abraçou ainda recentemente um projeto em que se alia a empresas na área da distribuição (Leroy Merlin e Bricor). A empresa possui showrooms em todas as lojas a nível nacional, as quais disponibilizam a comercialização do produto. Segundo Carlos Sá, esta “é uma aposta forte em parcerias de sucesso”, de tal forma que já se encontra a negociar com novos parceiros na área da distribuição.